Na última semana explicamos no que a dieta vegetariana e vegana se baseiam e mencionamos que apesar do número de pessoas aderindo essas dietas estar aumentando, os cientistas ainda não sabem ao certo as consequências a nossa saúde, já que os estudos a respeito do tema estão só começando. Nesse texto vamos falar de algumas descobertas recentes sobre esse assunto.

Nos últimos anos muitos atletas também têm aderido a dieta vegana/vegetariana, incluindo o piloto de fórmula 1 Lewis Hamilton e o tenista Novak Djokovic. Curiosamente, os primeiros atletas com esse tipo de dieta foram os gladiadores. De acordo com manuscritos romanos, a dieta desses lutadores incluía grande quantidade de legumes e grãos, com pouca ou quase nenhuma proteína de origem animal (1). Existem vários estudos científicos demonstrando que a redução do consumo de carne e aumento no consumo de alimentos com base em plantas trazem benefícios para a saúde. Uma das razões é a grande quantidade de antioxidantes (substâncias que protegem as células dos radicais livres produzidos pelo corpo) encontrados em plantas enquanto carnes apresentam gorduras associadas a um aumento de processos inflamatórios persistentes no nosso organismo, podendo levar ao surgimento de doenças como câncer, artrite, doenças cardíacas, diabetes e depressão. Pessoas com doenças autoimunes, como artrite reumatoide, apresentaram uma melhora do quadro clínico com alívio de sintomas após seguirem uma dieta vegetariana/vegana, provavelmente pelo efeito anti-inflamatório que alimentos à base de plantas apresentam no nosso organismo (2). A tenista Venus Williams, por exemplo, que apresenta a síndrome Sjögren, uma doença autoimune que afeta glândulas produtoras de fluidos e leva a dores nas juntas e sensação de cansaço, voltou a competir no seu maior nível após aderir a uma dieta vegana (3). Estudos recentes também mostram que pessoas com uma dieta vegetariana apresentam um microbioma intestinal mais diverso, o que pode melhorar a absorção e o metabolismo de nutrientes (4). 

Porém, o assunto é mais complexo do que parece. Outro estudo demonstrou que um grupo de vegetarianos e veganos tiveram maior risco de sofrerem derrame do que um grupo de onívoros. Algumas das razões poderiam ser os baixos níveis de colesterol ou deficiência de alguns nutrientes como a vitamina B12. Essa vitamina é apenas encontrada em alimentos de origem animal, e os baixos níveis dela no nosso organismo levam a maiores níveis do aminoácido homocisteína no sangue, que está associada à maior chance de derrame (5). Por outro lado, o excesso de ingestão de carne vermelha também pode levar a um aumento desse aminoácido. A vitamina B12 também é muito importante para o desenvolvimento cerebral, assim, a dieta vegana, sem a ingestão de carnes e produtos de origem animal, não é indicada para crianças, mulheres grávidas e adolescentes. Na Bélgica, por exemplo, os pais podem ser presos se forçarem seus filhos a seguirem uma dieta vegana. Outro estudo demonstrou que veganos geralmente não ingerem a quantidade de cálcio requerida diariamente, apesar desse nutriente ser encontrado de forma abundante em vegetais como brócolis; assim, os pesquisadores encontraram que veganos apresentam 30% mais chances de fraturas quando comparado com vegetarianos e onívoros (1, 6). 

Assim, podemos concluir que estudos ainda são necessários para entendermos melhor os benefícios ou problemas que a dieta vegetariana, vegana e também a ingestão de carnes podem causar na nossa saúde. De qualquer forma, a ingestão de plantas associada a uma ingestão moderada de carnes/produtos de origem animal ou de suplementos vitamínicos (como a vitamina B12), parecem ser opções para uma vida saudável. A escolha da dieta vai depender da idade e problemas de saúde de cada pessoa, devendo ser bem planejada, e se possível, com a ajuda de um nutricionista. Na semana que vem vamos falar sobre o impacto dessas dietas no meio ambiente. Até lá!

Por Bianca Ribeiro

Referências

  1. https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2019/dec/29/is-veganism-as-good-for-you-as-they-say Acessado em 18 de abril de 2022.
  2. https://www.health.harvard.edu/staying-healthy/foods-that-fight-inflammation Acessado em 18 de abril de 2022.
  3. https://www.veganfoodandliving.com/news/venus-williams-vegan-diet-changed-her-life/ Acessado em 18 de abril de 2022.
  4. Wei Xiao, Qingsong Zhang, Leilei Yu, Fengwei Tian, Wei Chen, Qixiao Zhai. Effects of vegetarian diet-associated nutrients on gut microbiota and intestinal physiology. Food Science and Human Wellness, Volume 11, Issue 2. (2022)
  5. Woo KS, Kwok TC, Celermajer DS. Vegan diet, subnormal vitamin B-12 status and cardiovascular health. Nutrients. 2014;6(8):3259-3273. (2014)
  6. https://www.bbc.com/future/article/20200127-how-a-vegan-diet-could-affect-your-intelligence Acessado em 18 de abril de 2022.

Imagem de capa: www.freepik.com

2 Replies to “Vegetarianismo e veganismo podem trazer benefícios à saúde?”

  1. Ola, excelente artigo e conteúdo!!

    Sou vegana a 2 anos e não abro mão do sabor da culinaria vegana.
    Com facilidade e praticidade, sem abrir mão do sabor em receitas totalmente veganas.

    Vou deixar aqui o link de uma coleção de ebooks para todos os tipos de ocasiōes com receitas 100% veganas e fáceis!

    Confira aqui > https://bit.ly/37DuFA4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.