Geralmente não nos damos conta que passamos quase 1/3 das nossas vidas dormindo, sabemos muito pouco sobre o que realmente acontece com o nosso corpo durante nosso sono, e menos ainda sobre a importância de dormir bem para a nossa saúde. Nesse texto vamos apresentar o que acontece quando dormimos e suas funções para o nosso corpo.

Podemos dividir o sono em duas fases principais, a REM (rápido movimento do olho, do inglês, rapid-eye movement) e não-REM. A primeira fase é a não-REM, composta por 4 estágios. No primeiro estágio, temos um redução das ondas cerebrais e estamos na transição de estarmos acordados e dormindo, no segundo temos uma redução ainda maior das ondas cerebrais (curiosidade: da mesma intensidade quando praticamos meditação) e apresentamos um sono leve; é quando o batimento cardíaco e a respiração se regulam e a temperatura do corpo cai. No terceiro e quarto estágios temos ondas cerebrais ainda mais lentas, chamadas de delta, e temos o sono profundo; acredita-se que são as fases mais importantes para descansar e restaurar nosso corpo. Depois disso passamos então para o sono REM, em que os nossos olhos se movimentam rápido por detrás das nossas pálpebras, as ondas cerebrais são similares às de quando estamos acordados, a taxa de respiração aumenta e sonhamos (1). 

As principais funções do sono são economizar energia, fazer manutenção do nosso organismo e consolidar memórias. Apesar de estarmos em uma condição mais vulnerável quando estamos dormindo, estarmos acordados faz com que gastemos muito mais energia do que quando dormimos, assim, dormir é importante para sobrevivência em tempos de escassez de alimentos. Para a segunda função, inúmeros estudos demonstraram a importância de dormir bem para manter o nosso metabolismo funcionando corretamente. Por exemplo, existe uma relação entre pessoas que não dormem o suficiente e um maior risco de ter diabetes pela desregulação do metabolismo da glicose (2). 

Para a terceira função do sono, a capacidade de consolidar memórias, o cérebro libera o neurotransmissor inibitório, ácido gama-aminobutírico (GABA), que regula tanto a fase REM e não-REM do sono, particularmente a de sono profundo, fase em que as memórias se consolidam. Durante esse processo os traços de memória que estão numa região transiente de alocação, o hipocampo, são realocados em regiões de memória mais permanentes, como o córtex, enquanto traços de memórias mais fracos são apagados para que nosso cérebro mantenha a capacidade de armazenamento para novas memórias (3). 

Dessa forma, podemos perceber a importância de dormir bem para mantermos nosso organismo funcionando corretamente. Na próxima semana vamos falar sobre os problemas que a falta de sono pode causar para a nossa saúde. Até lá!

Por Bianca Ribeiro

Imagem de capa: editado de Freepik.

Referências:

(1) Institute of Medicine (US) Committee on Sleep Medicine and Research; Colten HR, Altevogt BM, editors. Sleep Disorders and Sleep Deprivation: An Unmet Public Health Problem. Washington (DC): National Academies Press (US); 2006. 2, Sleep Physiology. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK19956/

(2) Knutson KL, Spiegel K, Penev P, Van Cauter E. The metabolic consequences of sleep deprivation. Sleep Med Rev. 11(3):163-78 (2007). doi: 10.1016/j.smrv.2007.01.002.

(3) Feld, G.B., Born, J. Neurochemical mechanisms for memory processing during sleep: basic findings in humans and neuropsychiatric implications. Neuropsychopharmacol. 45, 31–44 (2020). https://doi.org/10.1038/s41386-019-0490-9

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.