Um grupo de 74 professores e pesquisadores de 11 países, em parceria com a Universidade de Cambridge, publicaram o “Grande kit de ferramentas de #ensino”, baseado em pesquisas e experiências de ensino. O documento está disponível gratuitamente (link nas referências). 

A publicação tem como objetivo ajudar #professores a tomar decisões melhores sobre como ensinar de forma mais efetiva. Para isso, eles delimitaram 4 prioridades: 

  • compreender o conteúdo e como ele é aprendido
  • criar um ambiente de apoio para #aprendizagem
  • gerir a sala de aula de forma a maximizar as oportunidades de aprendizagem
  • ativar o raciocínio dos estudantes com conteúdo, atividades e interações

As propostas apresentadas no documento estão alinhadas com a #BNCC (normas para as redes de ensino públicas e privadas do Brasil), pois têm foco em desenvolver competências (não apenas apresentar conteúdos), guiadas por avaliações formativas (que permitem que o estudante aprenda enquanto é avaliado), gerando um ambiente de aprendizagem que dê suporte ao estudante. 

Porém, o documento mostra uma visão mais ampla do processo de ensinar que não envolve apenas exigência de excelência dos professores. A proposta inclui uma revisão no processo de formação de professores e da forma como o sistema de ensino funciona. Três instrumentos destacados são: #currículos personalizados para que professores aprendam a ensinar estudantes com idades, contextos escolares e outras características diferentes de formas diferentes; sistema de #avaliaçãoformativa que permita que professores avaliem sua própria aprendizagem, avaliem seu impacto e acompanhem seu crescimento profissional; e redes de suporte entre pares e com especialistas para gerar, compartilhar e aplicar experiências. 

Ensinar é uma tarefa complexa e um ótimo ensino deveria ser baseado no impacto que ele gera, não apenas nos conteúdos ou nas habilidades específicas trabalhadas. Esse documento tem recomendações para diferentes níveis hierárquicos dentro do sistema de ensino e pode ser utilizado por professores individualmente e também por instâncias superiores. 

Saiba mais:

O documento apresenta 17 “elementos” nos quais vale a pena investir tempo e energia para alcançar um processo de ensino-aprendizagem mais efetivo. Um desses elementos é o conhecimento sobre como o estudante pensa e aprende e quais são os erros mais comuns ou as dificuldades mais frequentes ao aprender certa competência, habilidade ou conteúdo. Diversos estudos apontam que professores que conseguem prever as dificuldades dos estudantes, têm uma maior chance de alcançar um ensino mais efetivo. Uma pessoa que entra em contato com um conceito pela primeira vez tem uma percepção diferente do especialista. Da mesma forma, às vezes, é necessário conhecer um conjunto de conceitos antes de conseguir compreender uma ideia mais complexa. Ter esse tipo de percepção de como um “novato” enxerga o mundo é uma habilidade importante para professores. 

Ter uma forma de ensinar estruturada é outro elemento destacado pelos autores e contribui para ativar um raciocínio crítico e mais profundo dos estudantes. Essa estruturação pode ser feita mostrando aos estudantes uma sequência apropriada de tarefas e objetivos de aprendizagem. Isso permite que o estudante entenda a importância do que está aprendendo e reconheça a tarefa como uma ferramenta valiosa, não apenas como algo a ser cumprido por si só. Apresentar uma visão geral do que será aprendido e deixar conceitos chave claros ajuda na contextualização do assunto trabalhado e conecta as ideias. Isso torna a aprendizagem mais concreta. Combinar as tarefas com as necessidades e capacidades dos estudantes também pode ajudar no engajamento. Se o estudante enxerga a tarefa como um desafio difícil demais, ele perde motivação e interesse. Outra forma de ter essa estruturação é planejar como dar suporte para que os estudantes consigam cumprir as tarefas e, gradualmente, retirar o suporte para que eles também desenvolvam autonomia. 

A publicação está disponível em inglês, espanhol, chinês e árabe e pode ser encontrado aqui. Com isso, fechamos nosso mês temático do professor. Espero que o conteúdo deste mês ajude meus colegas professores a se sentirem mais enxergados! Nós, do Ciência Informativa, admiramos muito o trabalho de quem se propõe a ensinar, seja dentro de uma sala de aula, em um encontro virtual, em eventos, nas redes sociais, no meio da rua,… não importa onde. Sabemos, por experiência, que não é uma tarefa fácil e que recebe pouco incentivo e reconhecimento. Temos esperança de que esse cenário um dia seja diferente e agradecemos a cada um que faz seu possível (e não o impossível) para que nossos estudantes aprendam melhor. Feliz mês do professor!

Referência:

Coe, R., Rauch, C. J., Kime, S., & Singleton, D. (2020). Great teaching toolkit: evidence review. https://www.cambridgeinternational.org/support-and-training-for-schools/teaching-cambridge-at-your-school/great-teaching-toolkit/

Imagem de capa: pch.vector – www.freepik.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.