A todo o momento estamos ouvindo sobre a repercussão das pílulas contra o câncer distribuídas atualmente pela Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos. A procura pelo suposto composto contra o câncer foi tanta que a distribuição de senhas foi necessária na universidade

O motivo dessa grande procura foi a liberação, pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), no dia 9/10 da entrega de fosfoetanolamina sintética para pacientes com câncer. Essa determinação preocupou a universidade que afirma não ter condições de produzir o composto em larga escala, para atender todas as procuras.

A fosfoetanolamina é o resultado de uma combinação entre a monoetanolamina (composto normalmente utilizado em detergentes multifuncionais) e o ácido fosfórico (comumente utilizado como conservante de alimentos). A fosfoetanolamina funciona como um sinalizador de células defeituosas, ou seja, de células que apresentam alguma modificação em seu processo de multiplicação, que possivelmente darão origem a células cancerígenas.

Células anormais surgem a todo o momento em nosso organismo, mas possuímos um possui um mecanismo natural, de reparação desses problemas, além de um sistema de detecção dessas células, que resultam em sua eliminação. As células responsáveis pela destruição destas células anormais são o Linfócitos T matadores (CD8). (Você pode assistir um linfócito em ação aqui http://www.maxisciences.com/systeme-immunitaire/observez-un-lymphocyte-detruire-une-cellule-cancereuse_art34841.html .)

Existem diferentes formas de sinalização da multiplicação de células anormais, com a função de mostrar aos linfócitos quais as células que devem ser eliminadas. Uma delas é a fosfoetanolamina, justamente o composto presente nas famosas cápsulas.

Mas é preciso ter cuidado com o uso do composto, que nunca foi testado, nem avaliado quanto a sua real efetividade em humanos. O único estudo existente com a substância foi realizado contra células cancerígenas de pele de camundongos.

A entrega do composto havia sido proibida pela USP, mas, por determinação do Supremo Tribunal Federal, foi obrigada a conceder as cápsulas aos pacientes. Este fato surpreendeu a ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) que é o órgão responsável pela regulamentação e registro de medicamentos, e não possui nenhuma informação sobre o composto.

Desta forma, devemos ser cautelosos na utilização de medicamentos que são mostrados como milagrosos, pois além da necessidade de testes para comprovação de sua eficácia e não toxicidade, devemos levar em consideração que não existe apenas um único tipo de câncer, existem centenas de variações, que precisam de tratamentos específicos.

 

Referências

[1] Buscato, M.; Rodrigues, A.H.; Freitas, A.  Fosfoetanolamina sintética: a oferta de um milagre contra o câncer. http://epoca.globo.com/vida/noticia/2015/10/fosfoetanolamina-sintetica-oferta-de-um-milagre-contra-o-cancer.html em setembro de 2015

[2] Documento oficial, processo n. 2194962-67.2015.8.26.0000: http://pt.slideshare.net/mottafabio/cpsula-anti-cncer-presidente-do-tjsp-volta-atrs-e-reconsidera-sua-deciso-que-havia-suspendido-as-liminares-0

[3] Kierszenbaum, A.L.; Tres, L. (2012).   Histologia E Biologia Celular. Saunders ELSEVIER. 3ª ed., pag. 310-311.

[4] Parham, P.  (2011).  O Sistema Imune. Artmed.  3ª ed., pag. 292

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.