“Eu tenho uma teoria”, “evolução é só uma teoria” ou ainda “tudo teoria, nada concreto”! A maioria de nós já ouviu alguma destas frases ou coisa parecida, muitas pessoas utilizam o termo Teoria como algo trivial ou meramente especulativo. Pois é, acontece que essas pessoas estão erradas. Teoria é um dos mais altos patamares do conhecimento científico, fruto de diversas observações consistentes e anos de evidências coletadas. Atualmente temos visto uma grande propagação de notícias falsas e sem fundamento científico. Muitas vezes, elas são geradas com base no achismo e cobertas com uma camadinha de pseudociência para que pareçam acuradas e se adequem às vontades de determinados grupos ou pessoas. Em parte, essas informações acabam sendo disseminadas por inocência ou pelo simples desconhecimento das pessoas de como funciona o método científico.

A ciência utiliza de um conjunto de etapas que devem ser cumpridas de forma sistemática, ordenada e rigorosa para a produção do conhecimento científico. A essas etapas damos o nome de método científico e ele utiliza de experimentos controlados e observações criteriosas que auxiliam a compreender melhor os eventos do mundo e separar fatos de opiniões. Esse conhecimento é construído tijolo por tijolo até formar uma casa sólida e habitável, com estruturas funcionais e lógicas.

Seguindo essa analogia, podemos dizer que os tijolos são postulados ou descobertas científicas, ou seja conhecimentos já testados construídos a partir de hipóteses. As hipóteses, por sua vez, são o ponto de partida do conhecimento, são afirmações claras indicando uma possível explicação plausível para um conjunto de observações. As hipóteses devem ser testadas e validadas através de observação ou experimentação empírica.

Vamos dar um exemplo com um assunto que voltou recentemente: “A minha hipótese é que a Terra é plana”. A partir da hipótese inicia-se o processe de experimentação. No caso do formato da Terra, desde a época de Galileu Galilei (figura acima), temos observado sistematicamente, de várias maneiras, que esta hipótese não é verdadeira. Desta forma, refutamos cientificamente que a terra é plana e aceitamos a alternativa: “a terra não é plana”. Assim, construímos um tijolo do nosso conhecimento, já sabemos que não é plana e agora podemos formular outras hipóteses para descobrir qual o seu formato (esférico) ou de porque ela tem esse formato.

Se voltarmos ao inicio do nosso texto, podemos ver que a explicação que acabamos de dar para hipóteses, encaixa-se perfeitamente nas frases iniciais: “É só uma hipótese” ou “tudo hipotético, nada concreto”. Deixei de fora propositalmente a “É só uma teoria”, pois não é “só”, não é “apenas uma teoria”. A teoria científica é um conjunto de vários postulados, modelos e fatos científicos já comprovados, é uma coletânea de evidências que retratam os fatos científicos observados até o momento. No entanto, deve-se ter em mente que a teoria necessita da presença de provas ou evidências.

Charles Darwin

Usemos a Teoria Evolutiva de Darwin (Figura à direita) como exemplo. Darwin postulou que os indivíduos mais adaptados a determinadas condições seriam os que sobreviveriam. Com isso, eles passariam seus genes adiante e suas características que permaneceriam e, os indivíduos menos adaptados seriam eliminados – resultando no processo evolutivo. Esta Teoria já foi criticada devido à falta de algumas evidências ou lacunas que talvez nunca sejam descobertas ou comprovadas. Já foi também em muito modificada com novas observações e descobertas. Hoje em dia, temos um volume de conhecimento factual que apoia a Teoria Evolutiva tornando-a aceita perante à comunidade cientifica.

 

A ciência por si só, muda e evolui e não é algo definitivo, novos achados acontecem todos os dias, modificando e adequando o conhecimento já existente, mas negá-lo ou diminui-lo sem o devido embasamento, ajuda a propagar informações falsas e, por vezes, perigosas para o bem-estar da sociedade. Um exemplo emblemático disso é o surgimento de pessoas espalhando notícias de que a vacinação é nociva à saúde, criando o movimento Anti-Vaxx. A ciência e suas teorias são ferramentas importantes para o sucesso e progresso da humanidade e, porque não, de dos organismos vivos.

 

por Stéfano Aires

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Galileu_Galilei#/media/File:Justus_Sustermans_-_Portrait_of_Galileo_Galilei,_1636.jpg, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003

SINGH, Simon. Big Bang. Rio de Janeiro; São Paulo: Editora Record, 2006

SOBHI RAYAN. Analogical reasoning roots in Ibn al-Haytham’s scientific method of research. pg 321-322. 2014.

 

One Reply to ““É só uma teoria!””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.