Como vimos nos textos anteriores, o tabagismo pode trazer muitos problemas à saúde de uma pessoa e também traz junto alguns problemas ambientais e sociais, advindos do cultivo do tabaco. O tabagismo pode ser considerado um problema de saúde pública e é uma causa prevenível de muitas das doenças que afetam as populações, principalmente dos países em desenvolvimento: mais de 80% dos fumantes de todo o mundo vivem em países subdesenvolvidos.

O Brasil é um dos países que apresenta uma das políticas antitabaco mais desenvolvidas e avançadas, sendo, assim, um exemplo positivo segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). As políticas para a redução e monitoramento do tabagismo em nosso país foram desenvolvidas pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (INCA) no início da década de 80; depois de mais de 20 anos de implantação do programa, a prevalência de fumantes na população foi de 34,8% para 14,8% em 2011, tendo uma redução considerável. Nosso Sistema Único de Saúde (SUS) oferece assistência gratuita para as pessoas que querem parar de fumar: entre 2005 e 2014, mais de 800 mil pessoas buscaram acesso a essa assistência.

Outra medida adotada no Brasil e que, segundo a OMS, é determinante para a diminuição da prevalência de fumantes na população, é a taxação de produtos com tabaco. No Brasil, em 2018, mais de 82% do preço dos cigarros mais vendidos correspondia a impostos. Isso encarece o produto, o que pode desestimular sua compra e, por consequência, diminuir o consumo.

Nesse mesmo contexto, temos o Dia Mundial sem Tabaco (em inglês, World No Tobacco Day), uma data celebrada mundialmente no dia 31 de maio. Criada pelos países membros da OMS, a data é um lembrete para os prejuízos à saúde que o tabaco traz, não apenas para os indivíduos que fumam, mas para todos ao seu redor. Além disso, é um momento de conscientização para que as pessoas tenham uma vida saudável, longe do tabagismo e de todos os problemas relacionados.

A OMS reforça também em seu relatório mais atual (2019) que, diante da epidemia de tabaco que vivemos, é muito importante que seja dado apoio para as pessoas que desejam parar de fumar. Além disso, são necessários esforços e estratégias de monitoramento, tais como taxação dos produtos com tabaco, proibição das propagandas e avisos gráficos dos problemas nos maços de cigarro (figura 1), principalmente nos países pobres.

Figura 1: imagens de advertências para os maços de cigarro divulgadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) . Fonte [6].

Desde 1988, a OMS cria slogans temáticos anuais para as campanhas contra o tabagismo. Em 2020 o tema foi “Protegendo os jovens da manipulação da indústria e impedindo-os de usar tabaco e nicotina”. Neste ano, o slogan da campanha recentemente lançada é “Comprometa-se a parar” (em inglês, “Commit to Quit”).

Também em 2020, as secretarias e ministérios da saúde advertiram para os problemas causados pelo tabagismo com relação à COVID-19. O INCA reforça que o tabagismo é um fator relacionado ao agravamento da COVID em pacientes fumantes, já que o fumo causa diversos tipos de inflamação em tecidos do corpo humano e prejudica a resposta imunológica. Além disso, existem também os riscos associados ao contágio, já que o ato de fumar favorece o contato constante com os dedos e com os lábios, favorecendo a transmissão do vírus. Os especialistas alertam, ainda, para o perigo trazido pelos cigarros compartilhados, que também facilitam a transmissão do coronavírus. 

Podemos perceber, com todos os textos do mês temático, o quanto o tabagismo é uma doença séria, que precisa ser combatida e, mais importante, da qual as pessoas devem ser conscientizadas acerca dos perigos que traz para o indivíduo e para aqueles que convivem com ele. E, reforçando, no contexto atual da pandemia trazida pelo novo coronavírus SARS – CoV – 2, a COVID é mais um motivo para se parar de fumar (figura 2). Se você é fumante, cuide de sua saúde e da saúde de todos que o cercam. 

Figura 2: cartaz do Ministério da Saúde alertando para a importância de parar de fumar, principalmente em tempos de coronavírus. Fonte: [9]

Se deseja parar de fumar e precisa de ajuda, você pode buscar assistência acessando esse link.  O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento gratuito e em todo território nacional para quem deseja parar de fumar. Você não está sozinho.

Por Nathália de Moraes

nathalia.esalq.bio@gmail.com

Referências

[1] https://www.scielosp.org/article/csc/2014.v19n2/539-552/

[2] https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5641:folha-informativa-tabaco&Itemid=1097

[3] https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_Mundial_sem_Tabaco

[4] https://www.who.int/tobacco/wntd/previous/en/

[5] https://www.who.int/publications/i/item/WHO-NMH-PND-2019.5

[6] https://g1.globo.com/bemestar/noticia/anvisa-divulga-novas-imagens-de-advertencia-para-embalagens-de-cigarro.ghtml

[7] https://www.inca.gov.br/campanhas/dia-mundial-sem-tabaco/2020/tabagismo-e-coronavirus

[8] https://www.inca.gov.br/programa-nacional-de-controle-do-tabagismo/tabagismo-e-coronavirus

[9] https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//card-tabagismo-coronavirus-dia-nacional-de-combate-ao-fumo-2020.jpg

[10] https://www.euro.who.int/en/media-centre/events/events/2021/05/world-no-tobacco-day-2021-commit-to-quit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.