Sabemos que cada animal desempenha seu papel no meio ambiente, mas você já parou para pensar nos impactos gerados quando causamos desequilíbrios nas populações de animais? Sejam as abelhas que polinizam as flores, sejam as cobras que atuam como predadores de ratos, todos são importantes. As cobras são muito conhecidas por seu potencial letal, porém nem todas são venenosas, na verdade, a maioria não é! Por isso é muito importante preservar e conhecer melhor esses animais, assim como aprender a respeitá-los. 

O desequilíbrio populacional causado pelo uso excessivo de agrotóxicos causa a morte de abelhas, principais responsáveis pela polinização de plantas. O mesmo acontece com as cobras, a ideia de que todas as serpentes são perigosas e maléficas faz com que as pessoas as matem, o que pode causar desequilíbrios. Dessa forma, uma queda no tamanho populacional das cobras pode fazer com os ratos prosperem mais naquele ambiente, e esses roedores são portadores de diversas doenças que atingem o ser humano, como a hantavirose e leptospirose.

Um exemplo de cobra comumente morta em plantações e hortas é a papa lesma (Dipsas mikanii), também conhecida como jararaquinha ou dormideira, que apesar de inofensiva, muitas vezes é morta porque assemelha-se levemente às jararacas (Bothrops sp). Como o seu nome popular já diz, ela alimenta-se de lesmas e caramujos, por isso é muito encontrada em hortas, onde atuam no controle natural de pragas. No nosso texto anterior destacamos que se você não tem conhecimento, é importante não manusear animais selvagens. Contudo, se você mora em áreas rurais, quanto mais informações você possuir, melhor poderá preservar a região e os animais que lá vivem.

Image with no description
Figura 1: Papa lesma (Dipsas mikanii)

Além de atuarem no controle de pragas, as serpentes contribuem para a medicina. Da toxina da jararaca (Bothrops jararaca) foi criado o anti-hipertensivo chamado Captopril, muito utilizado por brasileiros para controle da pressão arterial. Já a proteína “Enpak” (“endogenous pain killer”), presente na peçonha de cascavel (Crotalus durissus), tem o potencial analgésico 600 vezes maior que a morfina! Logo, podemos observar que as serpentes podem salvar milhares de vidas humanas e suas toxinas têm um grande potencial para ajudar no desenvolvimento de novos medicamentos.

Fonte: Bruno A. Carizzi

Um dos motivos que levam as pessoas a matarem serpentes é o medo causado por lendas e mitos. No nosso próximo texto vamos falar um pouco mais sobre algumas histórias e crenças populares contadas principalmente em áreas rurais, será que você conhece alguma? Fique de olho e saiba mais!

Isabela Filgueira Campos

Bruno A. Carizzi – Herpeto Capital

Referências: 

BERNADE, Paulo. Serpentes peçonhentas e acidentes ofídicos no Brasil. 1º Edição São Paulo: Anolisbook, 2014.

BERNADE, Paulo. Anfíbios e Repteis: introdução ao estudo da herpetofauna brasileira 1º Edição São Paulo: Anolisbook, 2012.

Figura 1:https://www.amda.org.br/index.php/comunicacao/especie-da-vez/2679-dormideira-a-serpente-docil

Foto da capa: https://portalcbncampinas.com.br/2019/07/justica-determina-que-estado-forneca-soro-antiofidico-em-centro-de-socorro/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.