Brigadeiro, bolo, chocolate, gominha, sorvete…só de falar a boca já se enche de água. Por que será que a maioria das pessoas (eu inclusa) gosta tanto de doces? No texto desta semana vamos entender os motivos biológicos por trás desta predileção a um docinho e o papel dos carboidratos em nosso corpo. 

Primeiramente, precisamos nos lembrar que todos os carboidratos são considerados macronutrientes para o nosso corpo, ou seja, são nutrientes que precisamos ingerir diariamente e em grande quantidade, mas não em exagero, é claro. Eles têm uma função muito importante em nosso corpo (saiba mais detalhes no quadro abaixo).

Quadro: algumas das funções dos carboidratos

Como vimos no texto da semana passada (link aqui), os carboidratos podem ser classificados em dois grandes grupos: os carboidratos simples e os carboidratos complexos. O processamento desses carboidratos em nosso corpo é um pouco diferente e isso impacta diretamente em nossa saúde: 

  • carboidratos simples: frutose das frutas, sacarose do açúcar refinado, dos pães, bolachas, chocolates, refrigerantes e a lactose do leite. Todos esses carboidratos, por serem simples, são rapidamente absorvidos pelo nosso corpo, o que provoca um súbito aumento no nível de açúcar no sangue e, por consequência, uma grande liberação de insulina, o hormônio responsável por manter controlada a quantidade de açúcar na nossa corrente sanguínea. 
  • carboidratos complexos: encontrados nos alimentos integrais, sementes, batata doce, aveia, mandioca. Por serem, como o próprio nome diz, mais complexos, eles são digeridos mais lentamente e não causam um aumento rápido de açúcar no sangue e nem da insulina. Eles também nos dão uma maior sensação de saciedade. 

Assim, toda vez que você consome um chocolatinho ou toma um café com açúcar refinado, você tem um aumento rápido de glicose (açúcar) no seu sangue (pico glicêmico – figura).  Então, todo o açúcar que, porventura, não for utilizado no corpo é transformado em tecido adiposo, as famosas “gordurinhas”.

Figura: pico glicêmico observado após ingestão de um alimento rico em carboidratos. Fonte: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQ_B6fbi4Zgvu4fmus-NtjDgUoubXuG4AHDJw&usqp=CAU

Como podemos ver, o excesso de açúcar faz mal para o nosso metabolismo, mas por que será que a maior parte das pessoas gosta de alimentos doces? Bom, existe uma razão biológica para isso. Ao longo da evolução, nós fomos programados para gostar de alimentos ricos em açúcar, pois eles fornecem uma grande quantidade de energia de forma relativamente rápida, o que é vital para nossa sobrevivência, e podem ser transformados em tecido adiposo. Ao ingerirmos o açúcar, ativamos um sistema de recompensa em nosso cérebro, o que nos traz uma sensação de bem-estar.

Porém, esse mecanismo fazia sentido quando os alimentos eram escassos e nossos antepassados precisavam gastar energia para conseguir comida. Hoje temos acesso a uma variedade de alimentos ultraprocessados, muito palatáveis (gostosos), riquíssimos em açúcar e que nos provocam essa sensação de prazer assim que o ingerimos, nos dando uma recompensa. E se a tecnologia na produção de alimentos industrializados evoluiu bastante, não podemos dizer o mesmo de nosso genoma, que evoluiu pouquíssimo neste período. Assim, é como se o nosso corpo ainda mantivesse instruções de funcionamento de milhares de anos atrás, mas nos dias atuais. Por isso, ainda gostamos (e muito) de alimentos ricos em açúcar.

Lembra que no início do texto eu mencionei que apesar de serem essenciais para nosso corpo, os carboidratos não devem ser ingeridos em excesso? Pois bem, existem inúmeras questões de saúde que podem acontecer devido ao consumo excessivo de alimentos ricos em açúcar, como a diabetes e a obesidade. Mas esse é o assunto do nosso texto da semana que vem. Não deixe de ler!

Por Nathália de Moraes

nathalia.esalq.bio@gmail.com

Referências

[1] https://www2.ibb.unesp.br/Museu_Escola/2_qualidade_vida_humana/Museu2_qualidade_corpo_digestorio2.htm

[2] http://docs.fct.unesp.br/docentes/edfis/ismael/nutricao/aula%20carboidratos%20e%20exerc%EDcio11.04.12.pdf 

[3]

https://jornal.usp.br/radio-usp/radioagencia-usp/qual-a-funcao-da-insulina-no-organismo/

[4]

https://www.cremepe.org.br/2019/12/02/saiba-a-diferenca-entre-carboidrato-simples-e-complexo/#:~:text=Os%20carboidratos%20simples%20s%C3%A3o%20digeridos,seguida%2C%20de%20insulina%20no%20organismo.

[5]

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6234835/

[6] Imagem em destaque:

Best and Worst Candies for Your Teeth by University General Dentists Team Member

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.