Em fevereiro deste ano, um grupo de pesquisadores do instituto Politécnico de Worcester (WPI) publicou na revista Biomaterials um trabalho em que demonstrou o potencial uso da estrutura celulósica de folhas de espinafre para regenerar tecidos humanos vascularizados (clique aqui para ler o trabalho).

Há tempo pesquisadores de todo o mundo buscam materiais e maneiras de fabricar tecidos humanos, porém a grande dificuldade sempre foi o desenvolvimento da estrutura vascular dos tecidos, ou seja, a construção de vasos extremamente finos, capazes de alimentar o tecido com nutrientes, água e oxigênio.

Foi a partir da observação das semelhanças na estrutura vascular de tecidos vegetais e animais (como pode ser observado na imagem abaixo), que os cientistas tiveram a ideia de utilizar a estrutura esquelética dos vasos condutores vegetais para a construção de vasos humanos. A partir da utilização de uma mistura de diferentes tipos de detergentes dentro de folhas de espinafre, eles conseguiram retirar todas as células vegetais, restando apenas sua estrutura celulósica, que manteve intacto a rede do sistema dos vasos condutores, bem como sua capacidade de transportar micropartículas.

comparacao_celulas
A partir deste esqueleto, as folhas foram re-celularizadas com células humanas, ou seja, células humanas foram injetadas nos vasos da folha e essas colonizaram sua superfície interna, formando vasos com células humanas. Além disso, células cardíacas foram introduzidas e também apresentaram a capacidade de se multiplicarem sobre a estrutura vegetal, além de apresentarem a capacidade de contração – tão importante para o músculo cardíaco. Este fato chamou a atenção de pesquisadores de todo o mundo para essa nova técnica que pode acelerar muito o desenvolvimento de órgãos humanos artificiais, que poderão um dia ser utilizados como uma alternativa aos transplantes.
Para saber mais detalhes sobre a pesquisa assistam ao vídeo dos pesquisadores do instituto descrevendo os resultados e as perspectivas de seu projeto: https://youtu.be/6iUrxGo9gZs.

Por Jaqueline Almeida
jaqueline.raquel.almeida@usp.br

Referência
Gershlak, JR; Hernandez, S; Fontana, G; Perreault, LR; Hansen, KJ; Larson, SA;  Binder, BYK; Dolivo, DM; Yang, T; Dominko, T; Rolle, MW; Weathers, PJ; Medina-Bolivar, F; Cramer, CL; Murphy, WL; Gaudette, GR. Crossing kingdoms: Using decellularized plants as perfusable tissue engineering scaffolds. Biomaterials, Volume 125, 2017, 13–22.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.