Abril é o mês da Páscoa e, com ela, veio aquele montão de doces, chocolates, brigadeiros, colombas… E quando passa a Páscoa, muita gente corre para a academia, se sentindo culpada por ter comido tanto chocolate. Deixando de lado toda a gulosice, será que o preço que você pagou nesses itens têm relação com o quanto você se sente culpado após toda a comilança? Como o preço de um alimento influencia em nosso estado psicológico pós-refeição?

Parece uma pergunta boba, mas pesquisas que relacionam preço de comida, saciedade e culpa são feitas há um bom tempo. Os resultados são relevantes não somente no quesito econômico, mas porque envolvem também questões públicas de saúde.

No início da década de 2000, algumas pesquisas mostraram que a forma que uma comida é servida influencia diretamente na sensação de saciedade pós-refeição. De maneira geral, pessoas que usam tigelas ou colheres maiores acabam se servindo cerca de 31% a mais em uma refeição, o que os pesquisadores apelidaram de “ilusão das colheres”. Isso teria impactos, por exemplo, para aqueles indivíduos que estão de dieta e querem emagrecer.

Outra pesquisa mais recente, realizada no fim de 2015, investigou de que forma o preço pago por uma refeição pode influenciar na percepção de culpa e saciedade pelos consumidores.

Foram 139 participantes, homens e mulheres, que se serviram em um restaurante de comida italiana do tipo “Coma à vontade”, por dois preços distintos: 4 dólares e 8 dólares (os participantes não sabiam da existência dos dois preços diferentes). Os pratos servidos em ambos os buffets eram iguais e o fato da pesquisa ter sido conduzida em um restaurante comum, e não em um ambiente de laboratório, fez com que os participantes se comportassem mais naturalmente.

Os resultados apontaram que o preço pago pela comida teve influência em como os participantes se sentiram após a refeição. Aqueles que comeram no restaurante mais barato se sentiram mais culpados e menos confortáveis fisicamente do que aqueles que se serviram no restaurante mais caro, embora tivessem comido a mesma quantidade de comida. Após o lanche, eles responderam que estavam “desconfortáveis fisicamente”, que “comeram mais do que deveriam”, que “se sentiam culpados pelo tanto que comeram”. Pessoas que comeram 2 pedaços de pizza no buffet de 4 dólares se sentiram muito mais culpadas do que aquelas que também comeram 2 pedaços de pizza, porém no buffet mais caro.

Fonte: https://cdn2.omidoo.com/sites/default/files/imagecache/full_width/images/bydate/jun_6_2012_-_956am/shutterstock_36440653.jpg
Fonte: https://cdn2.omidoo.com/sites/default/files/imagecache/full_width/images/bydate/jun_6_2012_-_956am/shutterstock_36440653.jpg

Já que outras variáveis, principalmente peso e altura, não eram diferentes estatisticamente, a diferença na saciedade e culpa foi atribuída ao preço pago pela refeição.

O que pode ser a causa dessa diferença? De acordo com os cientistas que conduziram a pesquisa, existem duas possíveis explicações. Primeiramente, o consumidor que pagou mais caro é influenciado pelo preço do alimento e, assim, tenta comer mais para fazer valer a pena o preço pago. Segundo, consumidores que pagaram mais barato se sentem mais culpados por terem comido tanto, pois o preço barato implicaria em comer menos porções.

Além da saúde das pessoas, esse resultado também pode afetar a economia. Quando você coloca um preço mais barato no seu restaurante, você chama mais a atenção de clientes; porém, o sentimento de culpa e desconforto físico associados ao preço mais barato podem fazer com que seu cliente deixe de ser assíduo ao seu restaurante.

Isso é mais um exemplo de como podemos ser sugestionados por embalagens, tamanhos e até mesmo preços dos alimentos! E então, será que o preço do seu ovo de Páscoa influenciou em quanto você se sentiu ou não culpado após a comilança?

Deixe seu comentário e sugestão na nossa página!

Até a próxima,

Por Nathália de Moraes

nathalia.esalq.bio@gmail.com

Referências

[1] Wansink, B. et al. (2006). Ice cream illusions bowls, spoons, and self-served portion sizes. American Journal of Preventive Medicine. 31, 240-243.

[2] Siğirci, Ö. et al. (2015). Low prices and high regret: how pricing influences regret at all-you-can-eat buffets. BMC Nutrition. 1:36. DOI 10.1186/s40795-015-0030-x

[3] Imagem em destaque: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/3b/47/d2/3b47d27996035457d6ea92bf03ee18f7.jpg

 

One Reply to “Afinal, o preço influencia no quanto você come?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.