No texto de hoje vamos falar sobre algumas delícias que o Cerrado produz. Se você é daquelas pessoas que adora experimentar novos sabores, você vai descobrir que o Cerrado é o paraíso. A terra vermelha desse bioma produz riquezas únicas, e o melhor: elas podem nos ajudar a ter mais qualidade de vida! Não apenas porque consumir frutos é importante para ter uma alimentação saudável, mas também porque eles têm o potencial de ajudar a ciência a descobrir novas formas de tratar doenças que nos afetam.

Muitas comunidades locais dependem dos frutos encontrados aqui no Cerrado, não só para consumo, mas também como fonte de recursos financeiros (1). Será que você já experimentou uma dessas gostosuras? Algumas das espécies mais exploradas são: Pequi, Buriti, Mangaba, Cagaita, Bacupari, Cajuzinho do cerrado, Araticum e as sementes do Baru (2). Os cientistas também reconhecem o potencial que os pomos do cerrado têm e por isso os frutos são objeto de estudo de pesquisas.

Dentre as diversas plantas do Cerrado que são exploradas por suas propriedades medicinais está a mangabeira (Hancornia speciosa), popularmente usada como remédio para tratar a diabetes. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) buscou avaliar o potencial antidiabético dessa espécie a partir de extratos retirados de suas folhas. Testes feitos em ratos indicaram a capacidade dessa fruta de reduzir a glicemia, concentração de açúcar no sangue (3). Nossos textos de julho explicaram a diabetes, se quiser relembrar sua definição e quais são seus tipos, clique aqui bit.ly/ci-diabetes.

Apesar de ainda não ter sido testada em humanos, a pesquisa é promissora e revela o potencial da mangaba de reduzir a glicemia através de dois processos. O primeiro deles é a inibição da enzima alfa-glicosidase intestinal: esse processo atrasa a absorção de açúcares ingeridos através do bloqueio da digestão do amido no intestino. Ou seja, a inibição dessa enzima retarda a absorção dos açúcares presentes nos alimentos que comemos e assim os picos glicêmicos são reduzidos (4). O uso de inibidores de alfa-glicosidase já é uma prática usada pela medicina como forma de tratar pacientes com diabetes.

O segundo processo envolve o estímulo da absorção de glicose (açúcar) pelos adipócitos (células do corpo que armazenam gordura), o que também reduz a concentração de açúcar no sangue. Na Tabela 1 mostramos um esquema do processo descrito no artigo.

Tabela 1

Apesar de haver vários remédios usados para controlar a glicemia, muitos deles possuem efeitos colaterais e podem ser caros. Além disso, a maioria das drogas não consegue controlar a glicemia sem que o paciente tenha hábitos de vida saudáveis. Em busca de mais conhecimento a respeito da mangaba, espécie ainda pouco estudada, os cientistas demonstraram suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, além de seu potencial de agir contra a hipertensão e a diabetes (3).

Pesquisas científicas e testes clínicos já provaram a eficácia de diversas plantas em tratamentos de doenças. A Hancornia speciosa é apenas um exemplo do potencial que os frutos do cerrado apresentam. O Brasil possui a maior riqueza biológica do mundo, mas esse privilégio vem com grandes responsabilidades. É necessário não só preservar recursos, mas também utilizá-los de forma sustentável em prol da sociedade. A exploração consciente de espécies nativas incentiva o desenvolvimento econômico local, descobertas científicas e ao mesmo tempo favorece a conservação do Bioma.

Por Isabela Filgueira.

 

REFERÊNCIAS

(1)   https://ispn.org.br/biomas/cerrado/ Acessado dia 04 de agosto de 2020

(2)   https://www.mma.gov.br/biomas/cerrado Acessado dia 04 de agosto de 2020

(3) PEREIRA, Aline C. et al. Hancornia speciosa Gomes (Apocynaceae) as a potential anti-diabetic drug. Journal of Ethnopharmacology, v. 161, p. 30-35, 2015.

(4) DORNAS, Waleska C. et al. Efeitos antidiabéticos de plantas medicinais. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 19, n. 2, p. 488-500, 2009.

2 Replies to “Frutos do Cerrado: Mangabeira e seu potencial antidiabético”

  1. Muito bom o texto. Muito boa as pesquisas em volta das frutas do cerrado, temos um bioma realmente muito rico. A preservação dos nosso biomas tem que ser uma das prioridades de proteção nesse momento em que vivemos.

    1. Obrigada pelo feedback! Concordo totalmente com você, temos que proteger esse nosso bioma tão rico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.