Você já parou para pensar como ao longo da história da humanidade diferentes tipos de profissão foram surgindo? Em cada período histórico, novas profissões surgem e se fortalecem, enquanto que outras desaparecem. Segundo alguns filósofos, para entender uma profissão é necessário entender a sociedade a qual ela serve e se insere. Vejamos alguns exemplos de como isso acontece.

No Egito antigo pessoas com afinidade para artes plásticas eram financiadas pelo governo para fazer tesouros e obras para os faraós, enquanto que pessoas que tinham talento para a área de exatas eram financiadas para construir os canais de irrigação, tão importantes na história do Egito. Nos trabalhos mais brutos e árduos era predominante a presença de escravos.

Na Grécia antiga, os homens ficavam encarregados de trabalhos relacionados à plantar e colher e as mulheres de trabalhos mais domésticos, como costurar, fazer roupas e cozinhar.

Na Roma antiga, segundo registros, existiam mais de 268 profissões, desde pescadores, mercadores de sal (um produto muito valioso na época), comerciantes de azeite e de gado.

Na Idade Média, com o desenvolvimento do comércio e de rotas comerciais, surgiram profissões como ferreiro, sapateiro, mestre de obras, comerciantes, banqueiros, navegadores. Uma curiosidade: até então era comum que os filhos seguissem o trabalho dos pais, para continuar na mesma área e se aproveitar do conhecimento adquirido.

O desenvolvimento tecnológico pós-revolução industrial trouxe muitas mudanças nas profissões. Hoje temos engenheiros, médicos, biólogos, dentistas, jornalistas; é importante destacar que antes essas profissões podiam ter outros nomes ou eram bem arcaicas.

Surgiram também, com o tempo, as profissões de Tecnologia da Informação e Informática. Vejamos com mais detalhes como o mundo digital tem influenciado no mercado de trabalho. Atualmente a maior parte dos jovens produzem e consomem conteúdo digital. Nesse nicho surgiu a profissão de influenciador digital ou digital influencer. Um influenciador digital dá dicas de viagens, produtos de beleza, jogos, livros e compartilha sua vida profissional e pessoal com seus seguidores. Parece uma profissão muito atraente e desfrutável, porém, como em toda profissão, “nem tudo são flores”. Além da grande exposição, segundo um artigo recente, muitos jovens se frustram ao entrar nesse mundo pois não tem noção de como funcionam as relações de trabalho e nem noção de economia.

 

Nesse mesmo mundo digital e conectado temos a profissão de jogadores profissionais (professional gamers) que ganham para jogar em competições mundialmente disputadas.  Segundo a mesma pesquisa realizada com mais de 230 jovens na Espanha, a maior parte dos jogadores profissionais e dos influenciadores digitais não pensam em se aprimorar ou realizar uma faculdade, por exemplo. Para os autores isso não é de tudo ruim, pois eles podem desenvolver outras habilidades, mas devem pensar em como crescer profissionalmente, assim como em todo emprego.

 

Apenas com esses exemplos conseguimos enxergar como as profissões vão se mudando e se moldando ao contexto histórico em que estão presentes.

 

Até a próxima,

Por Nathália de Moraes

nathalia.esalq.bio@gmail.com

 

Referências

[1] MJ Establés, M Guerrero-Pico, RS Contreras-Espinosa (2019): “Gamers, writers and social
media influencers: professionalisation processes among teenagers”. Revista Latina de
Comunicación Social, 74, pp. 214 to 236. Acessado de http://www.revistalatinacs.org/074paper/1328/11en.html

[2] http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/protagoras2/links/profissoes.htm

[3] https://pt.wikipedia.org/wiki/Imp%C3%A9rio_Romano#Trabalho_e_profiss%C3%B5es

[4] https://www.guiadacarreira.com.br/profissao/evolucao-teste-vocacional-profissoes/

[5] Fonte da imagem: http://www.nexomkt.com.br

[6] Fonte da imagem em destaque: https://agenciainsideout.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.