Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a definição de nutrição é “a ingestão de alimentos, tendo em conta as necessidades alimentares do corpo. Uma boa nutrição – uma dieta adequada e equilibrada combinada com atividade física regular – é a ‘pedra fundamental’ de uma boa saúde. A má nutrição pode levar à redução da imunidade, aumento da suscetibilidade à doenças, prejudicando o desenvolvimento físico e mental e redução da produtividade” [1].

Pirâmide Alimentar (Fonte: http://www1.hu.usp.br/profissionais/nutricao/arquivos/Pir%C3%A2mide_adaptada_link.pdf)

 

Olhando para a pirâmide alimentar, vemos na base “arroz, pão, massa, batata e mandioca” que consistem em carboidratos. Logo mais acima vemos “verduras, legumes e frutas”, sendo que estes alimentos são responsáveis por nos fornecer vitaminas e minerais, fibras e energia para nós. Próximo aparecem as carnes e ovos, queijo, leite e iogurte, responsáveis pelo fornecimento de proteínas e alguns minerais, e também aparecem os feijões que contém proteínas, carboidratos e minerais. Lá no topo da pirâmide, aparecem os óleos e gorduras, que contém lipídeos importantes para nós, e o açúcar e doces, que também contém carboidratos.

Cada um desses nutrientes tem sua devida importância em nossa nutrição. Os carboidratos são importantes para nos fornecer energia para o dia-a-dia, sendo que o nosso sistema nervoso central, que coordena nossos movimentos, pensamentos, etc., funcionam exclusivamente de um carboidrato chamado glicose, açúcar de 6 carbonos. Já as proteínas tem função estrutural, como por exemplo constituição muscular e também são responsáveis por catalisar reações químicas importantes para a célula. Já os lipídeos têm, primariamente, função energética (para se ter uma ideia, chega a fornecer mais que o dobro de energia do que os carboidratos) porém também são precursores de hormônios no corpo. Por fim, as vitaminas e minerais são importantes para diversas funções químicas no metabolismo, sendo o primeiro considerado um biocatalizador – como é o caso da vitamina C, poderoso anti-oxidante –  e o segundo que estão envolvidos na regulação e manutenção de funções importantes do metabolismo.

As quantidades de porções definidas por cada grupo de alimento tem a ver com as nossas necessidades diárias. Valores diários recomendados (VDR)* de cada alimento para um adulto médio são:

 

Tabela 1 – VDR para um adulto médio

Energia

2.000 kcal

Proteínas

50 g

Hidratos de Carbono

270 g

Açúcares

90 g

Gordura

70 g

Gorduras Saturadas

20 g

Fibra

25 g

Sódio (sal)

2,4 g

 

Veja a sugestão de um cardápio bem balanceado, considerando esses valores, clique: Artigo de Phillip et al. (1999) [2].

E você, segue uma dieta bem balanceada? Não come as porções recomendadas de frutas, verduras e legumes? Ou não consegue resistir a um doce e uma picanha com aquela capinha de gordura? A preocupação com a alimentação é importante, mas até que ponto temos que nos privar, ou podemos aproveitas as delicias do dia-a-dia?

Por Maria Letícia Bonatelli

mlbonatelli@gmail.com

Quer saber mais?

A química dos alimentos: http://www.usinaciencia.ufal.br/multimidia/livros-digitais-cadernos-tematicos/A_Quimica_dos_Alimentos.pdf

VDR aparecem nos produtos que você compra no dia-a-dia, já reparou? Entre no link e entenda: http://www.anvisa.gov.br/alimentos/rotulos/guia_bolso.pdf

*Os valores podem sofrer alterações conforme a pessoa e seu estilo de vida.

 

Referências:

[1] http://www.who.int/topics/nutrition/en/ Consultado em 04/11/2014.

[2] Philippi, S. T., Latterza, A. R., Cruz, A. T. R., & Ribeiro, L. C. (1999). Pirâmide alimentar adaptada: guia para escolha dos alimentos Adapted food pyramid: a guide for a right food choice. Rev. Nutr, 12(1), 65-80.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.