Você já deve ter visto algum grupo de pássaros voando no céu e pensou para onde eles estariam indo. É incrível pensar nas longas distâncias que os pássaros são capazes de percorrer sem usar as mesmas ferramentas que nós humanos utilizamos, como o GPS, a bússola e talvez o meio mais comum usado hoje em dia, o Google Maps. Nesse artigo vamos descobrir informações diversas sobre a migração das aves.

Figura 1. Patos migrando pela Bélgica. Fonte da imagem: Ribeiro, B.

Por que as aves migram?

De acordo com a evolução das espécies, o surgimento da migração de pássaros pode ter ocorrido quando estes começaram a se movimentar para outras áreas, em curta distância, para aumentar as chances de encontrar melhores alimentos e se reproduzirem. Aqueles indivíduos que faziam isso alcançavam na maioria das vezes um maior desempenho reprodutivo (gerando mais descendentes, por exemplo) e passavam esse comportamento migratório para a sua prole, que, por sua vez, acabava aumentando a distância percorrida para obter melhores recursos.

Os fatores que engatilham a migração nas aves são vários, como percepção de dias mais curtos, temperaturas mais amenas, escassez de alimentos e pré-disposição genética.

Em geral, as aves se movem de áreas com poucos recursos para áreas com mais recursos. As duas fontes primárias de recursos são alimentos e locais para se reproduzirem. As aves encontram alimentos como insetos e plantas e também lugares para fazer ninhos em ambientes com clima mais favorável, como durante a primavera; já no inverno elas se locomovem para outro lugar. Apesar do frio ser um fator que favorece a migração, muitas aves são capazes de aguentar temperaturas congelantes se ainda há alimentos disponíveis.

O instinto migratório é tão forte que, em alguns casos, pessoas que alojavam pássaros migratórios em gaiolas, percebiam que no período de migração esses pássaros ficavam extremamente inquietos e agitados. E aproveitando o tema, fica aqui uma dica importante relacionada ao assunto: se você gosta de pássaros, admire-os na natureza, mas não os coloque dentro de gaiolas.

Tipos de migração

Há vários tipos de migração dependendo da distância percorrida pelas aves. Os pássaros permanentes são aqueles que não migram, pois encontram alimentos e recursos no mesmo local durante o ano todo. Na migração à curta distância os pássaros se movem para locais mais próximos, como regiões com elevações diferentes em uma mesma montanha. Nas migrações à média distância os pássaros migram entre estados e à longa distância entre diferentes continentes.

Como as aves navegam

Para as aves migrarem com sucesso, elas precisam de habilidades como percepção do norte magnético da Terra (sim, as aves apresentam uma espécie de bússola interna), coordenação motora, noção de tempo e visão aguçada para perceber diferentes relevos, luzes, cores e movimentos. O processamento dessas informações é realizado no cérebro e as regiões mais importantes deste para a migração incluem o telencéfalo, o cerebelo e o lobo óptico.

Quando os dias encurtam os receptores do cérebro que percebem luz desencadeiam mudanças hormonais que estimulam as aves a trocar para penas que aguentam o rigor de um voo longo. Além disso, as aves aumentam o apetite e começam a comer vorazmente ganhando grande quantidade de peso; algumas espécies que se alimentam de insetos também suplementam a dieta com frutas, grãos e outros alimentos que são convertidos em gordura corporal que fornecerá energia durante o voo. As mudanças hormonais também fazem com que os pássaros comecem a ficar muito inquietos, principalmente à noite.

As pessoas ainda não sabem por completo como os pássaros que viajam pela primeira vez são capazes de encontrar o local certo sem nunca o ter visto antes, principalmente pois é uma combinação de fatores que participam do processo.

As migrações a longa distância são muito mais complexas, são resultado de milhares de anos e controladas parcialmente por fatores genéticos. Os pássaros geralmente seguem correntes de vento para economizarem energia e voarem mais rápido. O fuselo (Limosa lapponica) pode percorrer até 1000 km durante 8 dias sem fazer paradas, já a narceja-real (Gallinago media) é capaz de percorrer 7000km à uma velocidade de 100km/h (Figura 2).

Figura 2. Fuselo (Limosa lapponica) à esquerda e narceja-real (Gallinago media) à direita. Fonte das imagens: https://hiveminer.com/Tags/aves%2Cfuselo e http://www.rantalat.eu/KUVAT/11%20Rantalinnut/Galmed/Galmed.html

Ainda neste ano, cientistas descobriram que proteínas presentes nos olhos dos pássaros permitem com que eles vejam o campo magnético da Terra. A proteína Cry4 faz parte de uma classe de proteínas chamada de criptocromos, os quais são fotorreceptores sensíveis à luz azul capazes de reconhecer emaranhado de elétrons, os quais variam de acordo com o campo magnético da Terra. Assim, é provável que essa proteína é responsável por uma espécie de sexto sentido das aves. A Figura 3 ilustra como as aves provavelmente enxergam o campo magnético da Terra.

Figura 3. É provavelmente assim que pássaros enxergam os campos magnéticos: as faixas brilhantes seriam como as direções são vistas pelos pássaros. Fonte da imagem: http://www.ks.uiuc.edu/Research/cryptochrome/

É uma jornada árdua e perigosa, que testa as habilidades mentais e físicas das aves, e que sofre interferência das ações humanas. Muitas espécies infelizmente são atraídas por luzes de prédios altos e morrem quando colidem com essas estruturas. Outras sofrem com as alterações climáticas e tem grandes dificuldades para alimentarem sua prole. É estimado que aproximadamente 40% das espécies de aves sejam migratórias. Dessa forma, o estudo da migração das aves é fundamental para promover a conservação de diferentes espécies. No meu próximo post eu vou falar mais a respeito disso. Espero que tenham gostado! Até a próxima!

 

Por Bianca Ribeiro

biancaribeiro0589@gmail.com

 

Referências:

[1] The Cornell Lab of Ornithology. Acessado de http://www.birds.cornell.edu/Page.aspx?pid=1478 em agosto de 2018

[2] Akesson S. et al. Timing avian long-distance migration: from internal clock mechanisms to global flights. Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci. 2017. 19; 372(1734). DOI: 10.1098/rstb.2016.0252

[3] Theoretical and Computacional Biophysics group. Cryptochrome and magnetic sensing. Acessado de http://www.ks.uiuc.edu/Research/cryptochrome/ em agosto de 2018

[4] Imagem em destaque: iStockphoto/Gord Horne

 

3 Replies to “Por que e como os pássaros migram?”

  1. Obrigada por essa matéria inspiradora. Sou Designer de Marcas, e busco esse tipo de informação para desenvolver os conceitos em que a marca se sustenta. A natureza é a maior escola sobre esforço, determinação, trabalho em equipe e muito mais.

    1. Obrigada!! Ficamos felizes saber que nosso conteúdo te ajudou. Se tiver outros temas que te interessam, conta pra gente. 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.