Poucas coisas são tão interioranas, aqui no Brasil, quanto a presença daquele velho filtro de barro no cantinho de muitas cozinhas. Embora a tecnologia já tenha nos dado filtros de torneira ou aqueles com várias opções de temperatura, muita gente ainda prefere o filtro de barro. Será que realmente essa é a melhor opção? Vem conferir aqui no texto com a gente!

Primeiramente, sim! Muitas pesquisas já apontaram que o filtro de barro é um dos melhores do mundo. Esse tipo de filtro consiste em duas peças principais: uma superior tampada, onde se coloca a água para ser filtrada e que tem o filtro de cerâmica poroso propriamente dito (chamado popularmente de vela) e uma inferior que abriga a água já filtrada, que cai lentamente do recipiente superior.

Fabricados de maneira quase artesanal a partir de barro ou argila, os filtros eram antigamente feitos por pequenos fabricantes, mas hoje em dia existem muitas fábricas especializadas nesse tipo de produção. A história do filtro de argila é, na verdade, bem antiga: foi em 1827 que o inglês Henry Doulton inventou o sistema de tratamento de água através das velas de cerâmica; então, após 8 anos, a Rainha da Inglaterra Victoria pediu que ele passasse a produzir tais filtros para a corte britânica.

http://www.ceramicastefani.com.br/filtro-stefani/filtro/2/filtro-sao-joao
http://www.ceramicastefani.com.br/filtro-stefani/filtro/2/filtro-sao-joao

O funcionamento desse filtro é simples, porém muito eficiente. De maneira lenta, pela ação da gravidade, a água passa pelos poros do filtro de cerâmica, sendo filtrada, e então fica armazenada na parte inferior. Como os poros são pequenos e o processo é bem vagaroso, o filtro de barro consegue reter impurezas bem pequenas, desde bactérias e protozoários até compostos químicos como cloro, ferro e pesticidas. Esse tipo de poluente não é removido pelos outros tipos de filtros, pois eles acabam filtrando a água muito rapidamente. Alguns filtros de cerâmica podem ainda serem tratados com uma camada de prata, que previne que microrganismos e algas comecem a crescer no interior dos recipientes.

Mas por que filtrar a água se ela já vem limpa das estações de tratamento? Bom, a água que recebemos na torneira, apesar de ser considerada potável, pode ter resíduos de metais provenientes das tubulações que levam a água até nossa casa. Por isso, a melhor maneira é filtrar a água antes de bebê-la e usá-la para cozinhar os alimentos.

No Brasil, o filtro de barro é mais visto em cidades do interior, mas hoje em dia até mesmo nas grandes metrópoles as pessoas têm adotado esse método de purificação da água. Além das notícias que levam às pessoas a informação de que é um método seguro, a crise hídrica em São Paulo nos últimos anos alavancou a venda dos filtros. É isso mesmo que você leu; o temor de que o volume morto do Reservatório de Cantareira contivesse metais pesados fez com que muitas pessoas corressem para os mercados e adquirissem um filtro de cerâmica, o que fez com que, em 2015, a principal empresa fabricante do filtro no país aumentasse sua produção e venda em mais de 20%.

Os filtros de barro já foram testados por cientistas de várias universidades e sua eficácia foi comprovada por esses testes. É claro que a qualidade da cerâmica e dos outros materiais interferem nessa eficácia. Além da eficiência em filtrar a água, todos que têm um filtro desse em casa sabem que ela fica bem fresquinha, até 5ºC mais gelada que a temperatura externa. O filtro de cerâmica, no entanto, não é eficiente para remover partículas virais, pois essas são menores que o tamanho que os poros conseguem filtrar.

A eficácia do filtro de barro é tanta que, inclusive, ele é o mais recomendado em países que têm grandes problemas com doenças transmitidas pela água contaminada, principalmente diarreia em crianças, que frequentemente pode levar à morte. Nesses casos, além de ser um método fácil de ser usado, ele é muito mais barato e precisa de pouca manutenção.

Por isso, se você procura algo mais barato e eficiente, de acordo com os pesquisadores, você pode confiar (ou continuar confiando) no filtro de barro. Mas é claro que você precisa verificar a eficiência do filtro e mantê-lo sempre bem limpo e cuidado. Aí não terá nenhum problema, é só se deliciar com uma água limpa e fresca!

Deixe seus comentários na nossa página!

Até a próxima,

Por Nathália de Moraes

nathalia.esalq.bio@gmail.com

Referências

[1] Bernardo, K. (2016). Por que filtros de barro são realmente eficientes. Acessado de www.nexojornal.com.br/expresso/2016/02/08/Por-que-os-filtros-de-barro-s%C3%A3o-realmente-eficientes em maio de 2017

[2] Center for Disease Control and Prevention. (sem data). Acessado de https://www.cdc.gov/safewater/ceramic-filtration.html em maio de 2017

[3] Ceramic water filter. Wikipedia. (2017). Acessado de https://en.wikipedia.org/wiki/Ceramic_water_filter em maio de 2017.

[4] Varkey, A. J. & Dlamini, M. D. (2012). Point-of-use water purification using clay pot water filters and copper mesh. Water SA. ISSN 1816-7950. Acessado de http://www.scielo.org.za/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1816-79502012000500010 em maio de 2017.

[5] Imagem em destaque: http://super.abril.com.br/blog/superlistas/8-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-a-agua/

4 Replies to “A ciência por trás do filtro de barro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.