Em 2018 a 8ª pergunta mais feita ao buscador Google foi: por que estou sempre cansado? Essa pergunta reflete – infelizmente – muito do que vemos por aí, com pessoas cansadas e desestimuladas. Você já se sentiu assim, cansado o tempo todo? No texto de hoje vamos entender um pouco mais sobre a Síndrome de Burnout, uma doença relacionada ao trabalho e que pode estar por trás desse sentimento de fadiga intensa que muitas pessoas vivem.

O cansaço – físico ou mental – pode estar relacionado a diversos fatores: desde uma atividade física intensa, um dia longo de trabalho ou estudo, anemia, gravidez e privação de sono. É normal sentir cansaço, sonolência, apatia. É uma forma do nosso corpo nos dizer para parar e recarregar as energias. Algumas das causas da fadiga podem ser tratadas com medicamentos, outras podem ser tratadas apenas com mudanças nos hábitos de vida (alimentação, exercícios físicos, mais tempo de sono).

Porém, quando uma pessoa tem cansaço excessivo e frequentemente relacionado ao trabalho, pode ser que ela esteja sofrendo do que os especialistas chamam de Síndrome de Burnout (burnout = esgotamento). O termo foi cunhado na década de 70 por Herbert Freudenberger, um psicólogo norte-americano. Na época, a síndrome era tida como comum apenas aos profissionais de saúde, como médicos e enfermeiros, porém, hoje sabe-se que o esgotamento, o estresse e a falta de motivação e rendimento no trabalho causada pela Síndrome do Burnout atinge muitas outras profissões, como engenheiros, dentistas, consultores e professores.

A pressão por resultados, jornadas de trabalho exaustivas, o difícil relacionamento com colegas de profissão, podem levar ao estresse no trabalho, mas quando as consequências se tornam mais intensas, mais frequentes e passam a atrapalhar a pessoa e àqueles ao seu redor, daí podemos nos referir ao Burnout.

Diferentemente da depressão, o Burnout é caracterizado por problemas e sintomas relacionados ao trabalho. Dentre esses sintomas temos: exaustão – a pessoa se sente exausta e esgotada, incapaz de fazer seu trabalho; frustração – a pessoa se sente frustrada e pouco motivada em continuar; desempenho reduzido – a pessoa não consegue cuidar da casa, não consegue ter prazer em conversar com seus familiares e amigos.

Uma pessoa com Síndrome de Burnout pode se afastar de seus colegas ou, ao contrário, começar a falar cada vez mais sobre trabalho sendo cínica e sempre pessimista.

Diferentemente da depressão, o Burnout é caracterizado por problemas e sintomas relacionados ao trabalho. Já a depressão envolve sentimentos e pensamentos negativos relacionados ao trabalho e todas as outras áreas da vida.

Já que estamos falando sobre profissões, quais são as profissões consideradas mais estressantes? No próximo texto vamos conferir a resposta para essa questão e como essa síndrome pode ser tratada.

Até a próxima,

Por Nathália de Moraes

nathalia.esalq.bio@gmail.com

Referências

[1] http://www.wiredfocus.com/here-are-the-top-10-questions-we-asked-google-in-2018/

[2] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK279286/

[3] https://www.medicalnewstoday.com/articles/8877.php

One Reply to “Síndrome de Burnout: o trabalho enobrece o homem. E também o estressa.”

Deixe uma resposta para Kleber Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.